Isolamento social é igual a fumar ou consumir álcool

Não ter amigos pode ser tão perigoso para a saúde quanto fumar ou consumir álcool em excesso, diz um estudo de cientistas americanos publicado no site da revista Plos Medicine. Os especialistas asseguram que o isolamento é ruim para a saúde e, no entanto, esta é uma tendência cada vez maior em um mundo industrializado no qual “a quantidade e a qualidade das relações sociais estão diminuindo enormemente”.

Estudos prévios demonstraram que as pessoas com menos relações sociais morrem antes daqueles que se relacionam mais com amigos, conhecidos e parentes. Por isso, preocupados com o aumento de pessoas que se relacionam menos com as outras, os cientistas analisaram como um isolamento excessivo pode afetar a saúde.

Para isso, os pesquisadores recorreram a 148 estudos prévios com dados sobre a mortalidade de indivíduos em função de suas relações sociais. Após analisar os dados de 308.849 indivíduos acompanhados durante uma média de 7,5 anos, os cientistas descobriram que as pessoas com mais relações sociais têm 50% mais chances de sobrevivência do que quem se relaciona menos com outras pessoas. A importância de ter uma boa rede de amigos e boas relações familiares “é comparável a deixar de fumar e supera muitos fatores de risco como a obesidade e a inatividade física”.

Os responsáveis pela pesquisa apontam “A medicina contemporânea poderia se beneficiar do reconhecimento de que as relações sociais influem nos resultados de saúde dos adultos”. Eles advertem sobre a importância das relações sociais da mesma forma que defendem o antitabagismo, uma dieta saudável e a realização de exercícios.

Fonte: www.odia.com.br

Carros elétricos chegam ao Brasil até 2015

Em poucos anos, o consumidor brasileiro, acostumado com motores movidos a álcool, gasolina e GNV, terá mais uma opção: carros elétricos. A novidade movimenta o mercado. Não apenas o automobilístico, mas também os setores que serão beneficiados por esses novos veículos. No Brasil, eles devem chegar para vendas em 2015.

Antes dessa modificação, duas situações necessitam ser revistas. Primeiro o setor elétrico precisa sofrer uma revolução no campo suporte, e segundo, as garagens terão que se adaptar aos modelos dos carros, pois seus formatos são totalmente diferentes dos carros convencionais.

No Brasil, as montadoras que mais investem em veículos elétricos são Fiat, que desenvolve o Palio elétrico em parceria com a Itaipu Binacional, e a Mitsubishi, cujo modelo i-MiEV já roda em São Paulo para testes.

De acordo com o supervisor de engenharia e planejamento da Mitsubishi Motors, Fabio Maggion, a busca da companhia é pela homologação do produto. “O problema é que o assunto é novo, no mundo inteiro, e precisa ter uma adequação na tributação e de homologação desse tipo de carro”, diz Maggion, que também é membro da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA). A Mitsubishi espera trabalhar com o modelo em parcerias com empresas a partir de 2013, como já acontece no Japão. A partir desse ponto e em um cenário positivo, a meta é passar a vender para o público comum em 2015.

A construtora e incorporadora de imóveis, BKO, criou cinco vagas que terão estrutura para fiação e relógios de medição de consumo. Segundo o diretor superintendente da construtora, Mário Giangrande, a simples medida além de proporcionar a tomada para o carro ser plugado, evitará as intermináveis brigas de condôminos sobre quem irá arcar com o gasto energético.

Além do relógio para separar o consumo de cada proprietário, a própria tomada é um assunto importante dentro do mundo dos elétricos. O Mitsubishi i-MiEV, por exemplo, pode ser conectado em uma tomada comum. Entretanto, há modelos em desenvolvimento que têm sistema diferenciado. Por esse motivo, o governo em parceria com órgãos de normas técnicas terá de estabelecer um padrão. “Essas tomadas diferentes vão passar por um tipo de normatização, como acontece no Japão, para haver um padrão convencional. O mesmo acontece com o plug para cargas rápidas, para não se repetir o que aconteceu com os carregadores de celular, em que cada marca tem um tipo diferente”, diz Maggion.

No que se refere à recarga, as fabricantes desenvolveram dois sistemas, um que carrega 100% da bateria durante sete horas, se plugado em uma tomada de 220 v e, outro, que em 30 minutos abastece 80% da capacidade total do veículo. É nesta segunda opção que devem se concentrar os postos de abastecimento. Estacionamentos de shoppings e de supermercados devem fornecer este tipo de auxílio.

A população do planeta beira os sete bilhões de pessoas e a frota mundial de veículos automotores supera um bilhão e continua crescendo, pois a cada ano são mais 70 milhões de veículos produzidos. O transporte rodoviário mundial, segundo levantamento da OICA (Organização Internacional de Fabricantes de Veículos Automotores) é responsável por 16% das emissões de CO2 (gás carbônico). Não podemos dizer que os veículos são os maiores poluidores do planeta, porque ainda não são, mas se levarmos em conta a vida nos grandes centros urbanos, a situação é preocupante.

As metrópoles estão cada dia mais sufocadas, respirando o ar carregado pela poluição dos motores. A qualidade de vida piora nos grandes centros, onde as doenças respiratórias e alérgicas crescem, e com ela, a taxa de mortalidade fruto das emissões de CO2. É verdade que este não é um problema que afeta apenas o Brasil, mas o mundo todo. O que fazer para impedir que o problema se agrave?

Governos buscam alternativas ora com políticas públicas, ora com incentivo a diversidade da produção. No Brasil, o carro flex (Etanol-Gasolina e Gás) domina o mercado. Em outras partes do planeta, a exemplo, de Estados Unidos, Canadá, Japão, China, França, Alemanha, Israel e Austrália o governo e a iniciativa privada trabalham juntos para desenvolver carros elétricos eficientes. Além de econômicos, os carros elétricos poluem menos do que carros movidos a gasolina, tornando-se uma alternativa ambientalmente saudável a esse tipo de veículo (especialmente nas cidades). Só nos resta agora esperar a novidade chegar ao Brasil!

Fonte: http://www.abve.org.br/

Vídeo-game…como tudo começou

O assunto que iremos abordar hoje agrada não só crianças, mas também jovens e adultos: o videogame.O que pouca gente sabe, é que o primeiro videogame , se é que podemos chamá-lo assim, foi desenvolvido em 1962, por Slug Russel, Wayne Witanen e Martin Graetz, colegas do Instituto Ingham de Massachusetts, EUA. Baseados em vários equipamentos, eles decidiram criar algo útil para suas horas vagas, nascendo assim, o primeiro jogo eletrônico: o Spacewar.

Dez anos depois, o primeiro videogame passou a ser vendido nos Estados Unidos. Era o Odissey, elaborado pela empresa Magnavox, em 1972. O Odissey foi comercializado no Brasil no final da década de 70. Fabricado pela Philco e Ford, o console ficou conhecido como Telejogo. Foi uma época bastante complicada do videogame, pois os jogadores tinham que ter bastante imaginação, já que o jogo era composto de quadrados na tela que significavam pessoas, naves, etc.

Após Odissey, surge o fenômeno que todos normalmente associam com a história do videogame: o Atari. Projetado por Nolan Bushnell e lançado em 1978 nos Estados Unidos e em 1983 no Brasil, o console Atari 2600 é considerado um símbolo cultural dos anos 80 e um fenômeno de vendas. Após a quebra da Atari no início dos anos 80, a Nintendo surgiu. Seu primeiro sucesso de vendas foi o console Famicom, de 8 bits, que foi renomeado de NES (Nintendo Entertainment System). Sob o NES, foram feitos jogos famosíssimos, como Mario e Donkey Kong, por exemplo. Enquanto a Nintendo crescia e se consolidava como a maior no mundo dos consoles, a SEGA, outra empresa japonesa, também se desenvolvia. Para concorrer com o NES, a empresa lançou o Master System.

Sabendo que não iria ultrapassar a Nintendo, a SEGA desenvolveu um novo console, de 16 bits: o Mega Drive. A líder, Nintendo, entrou na disputa e lançou um dos maiores sucessos de toda a história do videogame: o Super NES. Enquanto o console da SEGA tinha mais jogos, o da Nintendo era mais avançado e possuía melhores gráficos. Afinal, quem nunca ouviu falar da disputa entre Mario e Sonic, Nintendo e Sega, respectivamente?

Após essa longa disputa, entra uma nova e forte concorrente no mundo dos games: a Sony, dando início também, a uma nova geração de videogames. Nesse momento, a SEGA lançou sem muito sucesso de 32 bits, Saturn. A Nintendo surpreendeu todo o mundo anunciando o N64, com gráficos de 64 bits! Outro fato importante é o lançamento do Playstation, da Sony, que por possuir uma grande biblioteca de jogos, tornou-se o líder da geração, com 100 milhões de consoles vendidos.

Por ser recente, a penúltima geração dos videogames é conhecida até mesmo pelas crianças. O Playstation 2, da Sony, lançado no ano de 2000, o qual continuou a história de sucesso do PlayStation, passando a ter mídias em formato de Dvd. O GameCube, da Nintendo, sendo o sucessor natural do N64 em 2001, e a novidade Xbox, da gigante dos softwares Microsoft.

A atual geração de consoles se resume nos três lançamentos das mesmas fabricantes da geração passada. A disputa agora é entre o Playstation 3, da Sony; o Wii, da Nintendo; e o Xbox 360, da Microsoft; e esta disputa parece que vai durar um bom tempo. Pra nós, meros mortais, só nos resta apreciar se possível cada um deles!

Novas possibilidades através do Rádio Digital

Assim como a tv já possui seu sistema HD, de alta definição, ou seja, tv digital, com imagens 100% nítidas, o rádio também passará por esta migração total em até 15 anos. Estes estudos começaram em 2005 e os testes ainda estão em andamento, definindo o padrão de rádio digital no Brasil, e em breve os carros virão com rádio digital.

O rádio digital trará diversas vantagens para o ouvinte como por exemplo:

  • A qualidade de som. O AM terá som de FM, e FM terá som de CD;
  • Não haverá interferência na transmissão, ou terá um sinal nítido, ou não terá sinal nenhum;
  • Os rádios terão visores de cristais líquidos, por onde serão transmitidas informações no formato de texto sobre autor e intérprete de músicas, principais notícias, trânsito, entre outros;
  • Transmissão em baixa resolução de imagens como capa de cds, fotos de artistas e shows, e futuramente, pequenos vídeos em baixa resolução, como por exemplo, gols da rodada;
  • AM e FM estarão na mesma freqüência. Não haverá separação como hoje.
  • Alguns modelos de receptores terão recursos como a gravação de músicas com registro de informações como autor e intérprete e a possibilidade de voltar para o começo de um programa que se pegou no meio;
  • Transmissão de até três programas simultâneos, na mesma freqüência, para públicos diferentes. Por exemplo: A FM O Dia poderá ter até três programas simultâneos, um tocando somente funk, noutro somente pagode, e no outro somente hip hop, desta forma, o público poderá escolher o que mais lhe agrada.

Com esta visão de rádio, novas emissoras surgirão, a tendência é que as rádios piratas se extinguem, e assim como na tv, surgirão as rádios por assinatura contendo canais com 24 horas de músicas sem comerciais, de esportes, entrevistas, notícias, entretenimento, clima e trânsito.

Em 1895, o Cientista inglês Lord Kelvin disse: “O rádio não tem futuro”. Apesar de ter sido ameaçado com o surgimento da tv, o rádio mostrou que veio pra ficar, e o brasileiro não vive sem rádio. Só no Brasil, existem 4.000 emissoras de rádio comercias e educativas, sendo 1.700 em AM e 2.300 em FM. Para se ter uma idéia da importância deste meio, o apagão que teve em novembro de 2009, que atingiu 10 estados brasileiros, o único veículo que funcionou foi o rádio.

Sementes ajudam no tratamento e prevenção de algumas doenças

Hoje sabemos do papel fundamental de algumas frutas e legumes para o tratamento de determinadas doenças. Ouvimos constantemente que se comemos isto ou aquilo, evitaremos ou nos ajudará em algumas doenças. Mas você certamente joga fora sementes de frutas e legumes. Mas algumas delas também ajudam no tratamento e prevenção de doenças.

sementes de mamão, abóbora e linhaça são grandes aliados no combate e prevenção de algumas doenças.

O uso da semente de abóbora, por exemplo, é fonte de zinco. Hoje, sabe-se que as propriedades terapêuticas dessa parte, normalmente ignorada dos vegetais, no caso da abóbora, apresentam valores curativos mais amplos. A sementinha branca consumida torrada e salgada é riquíssima em potássio, cujo efeito no controle da pressão arterial já está bem estabelecido. Entre os nutrientes que contém, destaca-se também a vitamina A, potente preventivo de doenças da visão. Finalmente, há forte concentração de vitamina E, o que garante a cota de proteção contra os efeitos do envelhecimento, além de ajudar a combater doenças cardiovasculares. A semente torrada é batida no liquidificador e peneirada até virar um pó bem fino. Essa farinha ajuda a prevenir e combater doenças do intestino, promovendo uma verdadeira limpeza, que resulta na eliminação de substâncias tóxicas.

A semente do mamão é um excelente vermífugo, praticamente todo mundo sabe , mas alguns ignoram que ela tem outras aplicações na medicina doméstica. As sementes comidas em certa quantidade são eficazes contra o câncer e proveitosas contra a tuberculose. Umas 10 ou 15 sementes frescas, bem mastigadas, favorecem eficazmente a excreção da bílis, atuam contra as enfermidades do fígado e limpam o estômago. Já as sementes secas e moídas, em cozimento constituem na diminuição dos gases intestinais, e ajuda no atraso da menstruação. Contra os vermes intestinais empregam-se de uma só vez, uma colherinha ou mais, de sementes pulverizadas, misturadas com mel de abelhas. Repete-se a dose 2 ou 3 vezes ao dia.

A semente da melancia é um vasodilatador, ajudando as pessoas que tem hipertensão arterial, mas prestando contribuição destacada no combate à impotência sexual. Ela deve ser consumida em chá apenas. Chá das sementes (2 colheres de sopa para 1/2 litro de água).

Não podemos esquecer também da semente do abacate, conhecido vulgarmente como o caroço do abacate. A semente do abacate somente moída  é eficiente em certos tipos de problemas renais e disenterias.

Outra semente muito usada, inclusive na alimentação e muito poderosa é a linhaça. Muitas pessoas usam em tratamento de dietas e envelhecimento. Mas ela também facilita a digestão e absorção, e trata problemas intestinais e gástricos. As pessoas utilizam a linhaça no meio dos alimentos (triturada ou inteira, de acordo com seu gosto). No meio o iogurte, frutas, vitaminas, sucos, salpicado em saladas e sopas. No meio de bolos, massas e pães. Faça farinha de linhaça. Triture a linhaça (a seco) no liquidificador. Você pode até guardar na geladeira em um recipiente bem fechado ou saco plástico (ambos – seco e limpo) para que não sofra o processo de decomposição de gorduras. Nutricionistas e médicos indicam que a linhaça ingerida dessa forma. Consuma diariamente. Há quem diga que duas colheres de sopa por dia é o suficiente! (As pesquisas ainda não chegaram a um consenso com relação à quantidade ideal de consumo). Dê opção por triturar a linhaça no liquidificador e consumi-la em seguida. Use a linhaça com equilíbrio e moderação. Nem comer de menos, nem demais. Importante lembrar que a linhaça também possui calorias. Use a quantidade recomendada diariamente. Antes de triturá-la para consumo, deixe-a de molho durante quatro horas. Há quem diga que esta água faz super bem!

Nós temos em nossas mãos alimentos naturais que podem nos ajudar em situações diversas, seja de uma disenteria até uma hipertensão. Se tivermos uma alimentação balanceada e sempre que possível, incluirmos estas sementes em nossa refeição, estaremos nos prevenindo de muitos males futuros, e de forma prazerosa.

História da Tv Brasileira

Neste ano de 2010 a Tv Brasileira completou 60 anos de história, exatamente no dia 18 de setembro, quando Assis Chateaubriand importou a tecnologia. Foram importados 200 aparelhos e espalhados em pontos estratégicos para a 1ª exibição “forçada”, pois ninguém tinha os aparelhos. A pré-estréia da Televisão no Brasil aconteceu no dia 3 de Abril de 1950. Foi com uma apresentação de Frei José Mojica e as imagens foram assistidas em aparelhos instalados no saguão dos Diários Associados. A partir daí surgiram “TV na Taba”, apresentado por Homero Silva, que foi o primeiro programa transmitido. Teve a participação de Lima Duarte, Hebe Camargo, Mazzaropi, Ciccilo, Lia Aguiar, Vadeco, Ivon Cury, Lolita Rodrigues, Wilma Bentivegna, Aurélio Campos, do jogador Baltazar e da orquestra de George Henri. Logo na estréia a TV Brasileira teve de mostrar seu poder de improviso. Eram apenas duas câmeras e horas antes do começo da transmissão uma pifou. Os técnicos americanos aconselharam que a “festa” fosse adiada, mas lá estava o diretor Cassiano Gabus Mendes, outro pioneiro da TV brasileira, que decidiu ir ao ar mesmo só com uma câmera. Havia também o “Imagens do Dia’, e “A Vida por um fio”, sem contar a vinda do “Repórter Esso”. A programação não tinha horário fixo, haviam muitos erros de gravação, as pessoas não tinham experiência, tudo era ao vivo. Os profissionais do rádio migraram para a tv e os programas eram moldados no rádio, e até hoje são assim. A Tv Tupi é a primeira emissora que ganha seu espaço.

Na década de 60, começa a se pensar em contratar pessoas qualificadas e principalmente em publicidade. Chega o videotape, facilitando o trabalho de edição e montagem, podendo reprisar e trabalhar em vários lugares ao mesmo tempo, ganhando tempo. É um salto na produção televisiva, tornando um produto interessante financeiramente. Os aparelhos começam a crescer na produção nesta década. A Tupi sofre com problemas de administração, dando espaço para o surgimento da Tv Cultura, e Excelsior, e em 65 surge a Globo. A TV Excelsior de São Paulo coloca no ar a primeira telenovela diária: “2-5499 Ocupado”, direção de Tito de Miglio, com Glória Menezes e Tarcísio Meira. Com a Ditadura de 64 vieram a censura e os seriados americanos: “Batmasterson”, “Bonanza”, “A Feiticeira”, “Perdidos no Espaço”, “Papai sabe tudo” etc. Em 69, estréia o “Jornal Nacional”, da Rede Globo, marcando o início das operações em rede no Brasil. O noticiário era apresentado por Heron Domingues e Léo Batista. Foi o primeiro programa regular a ser transmitido em rede nacional e implementou um novo estilo de jornalismo na TV brasileira.

Na década de 70, oficialmente surge a tv em cores com o sistema pal-m. Cria-se as redes televisivas através de satélites com a programação integrada. A tv sofre interferência da ditadura. O governo concedia espaço para a tv de forma privada, investindo em infra-estrutura. A Globo fecha contrato com a Time-Life, que lhe dá apoio financeiro, desta forma ela dispara em relação às outras emissoras. Em 31 de Março acontece a primeira transmissão a cores da TV brasileira: a Festa da Uva de Caxias do Sul / RS. Em 73, vai ao ar pela primeira vez o programa “Fantástico”, da Rede Globo. No mesmo ano “O Bem Amado” da TV Globo foi a primeira novela colorida. Inaugurada em janeiro a TV Studios (TVS), no Rio de Janeiro, embrião do SBT, de propriedade de Sílvio Santos. Em 7 de Março, a Globo coloca no ar a versão de maior audiência do “Sitio do Pica-Pau Amarelo”, telenovela infantil. Não esquecendo da transmissão da Copa do Mundo no México, em que o Brasil conquistou o tri campeonato.

Na década de 80 a Tv Tupi é extinta e surge o SBT. Com o fim do regime militar é aberta a censura. Em 83, é inaugurada a Rede Manchete, com equipamentos de última geração, apresentando filmes e séries premiadas, numa programação voltada para as classes mais altas. Surge o seriado Chaves no SBT, e o Programa de Silvio santos, “a Porta da Esperança”. Na manchete, a primeira transmissão dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro direto do Sambódromo, com a inauguração da Marquês de Sapucaí. Na Globo, estréia o programa “Clube da Criança” com a Xuxa. Em 87, “a Praça é Nossa”, com o Carlos Alberto de Nóbrega, e em 89 “o Domingão do Faustão”.

Na década de 90, explode a venda de Tvs. Desta vez surgem programas voltados para as classes populares como: Ratinho Livre, Cidade Alerta, Note e Anote com Ana Maria Braga na Record. Surgem também as Tvs por assinatura, uma alternativa para as classes altas fugirem das programações abertas. Junto com elas, surge a Mtv. Em 92, transmissão ao vivo do impeachment do Presidente Fernando Collor, assumindo o vice Itamar Franco. Em 94, a Xuxa muda seu programa, surge Xuxa park, programa voltado para adolescentes aos sábados. Não esquecendo dos grandes líderes e audiência como “Sai de baixo”, “Chiquititas”, a novela “Xica da Silva” na Manchete, e “o Programa do Raul Gil” na Record. Em 99 explode um grande sucesso o Show do Milhão do Sílvio Santos, gerando grande audiência e encostando na Globo no horário nobre. No mesmo ano a Manchete fecha suas portas e surge a Rede Tv com programações como: “super pop”, “tv fama”, “a casa é sua”.

Nos anos 2000 , as emissoras passaram a importar programas e os reality shows viraram sucesso nacional. Surge a discussão sobre a tv digital. Em 2007 é oficializada no Brasil, apesar dos traços japonês, mas com sua própria linha, imagem de qualidade HD, interatividade e acessibilidade. Com tanta tecnologia, não dá pra imaginar qual será o próximo passo. Só nos resta sentar no sofá, aguardar e apreciar o que há de tão fascinante neste mundo de modernidade, que está em constante transformação.

Um ato de responsabilidade

Este ano de 2010 é ano de eleição. E desta vez votaremos para Presidente, Governador, Senador, Deputados Estadual e Federal. E como todo ano de eleição, é sempre a mesma história de campanha política, comícios, propagandas eleitorais, entre outras formas de nos chamar atenção para ganhar o nosso voto. Mas será que sabemos votar? Não falo nem por questão de escolhermos o candidato correto, que isso é de vital importância. Mas será que sabemos o que cada candidato executa dentro de sua função para podermos cobrar posteriormente? Então vamos descobrir de forma simples o que cada um faz, dentro de seu cargo.

O Presidente da República é a autoridade máxima do poder executivo nacional. São delegadas a ele as tarefas de Chefe de Estado. Seu mandato é de quatro anos podendo se reeleger (uma única vez) em eleições futuras. Ele se compromete a manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro; nomear ministros que o auxiliam na administração do país, sem consultar o Congresso para isso; sancionar, promulgar e fazer publicar as leis, bem como expedir decretos e regulamentos para a sua fiel execução; manter relações com países estrangeiros e escolher seus representantes diplomáticos; executar o orçamento formulado, em conjunto, com o Congresso Nacional (composto por deputados federais e senadores). Cabe ao Presidente administrar e aplicar os recursos do país de acordo com sua plataforma de governo.

O Governador é o chefe máximo do poder executivo de um Estado, como no caso do Brasil, onde somos uma União Federativa, isto é, os Estados integrantes possuem determinada autonomia. Ao governador cabe: Nomear a equipe de secretários que o auxiliará na administração do Estado; é o principal porta-voz do Estado junto aos poderes federais (Presidente da República, Ministros, Congresso etc); executar o orçamento estadual formulado, em conjunto, com os deputados estaduais. Cabe ainda ao Governador administrar e aplicar os recursos do estado de acordo com sua plataforma de governo, Propor e aprovar (sancionar) as leis votadas pela Assembléia Legislativa estadual

O Senador é o encarregado de representar os Estados-membros da federação, são eleitos diretamente. Seu mandato é de oito anos, o Distrito Federal e cada estado têm o direito de elegerem três senadores, independente do seu tamanho e de sua população. Cabe ao senador: Zelar pelos direitos constitucionais do povo; Propor, debater e aprovar leis de interesse nacional; Aprovar a escolha presidencial dos presidentes e diretores de empresas públicas, membros do poder judiciário e diplomatas; Autorizar operações financeiras externas e condições de crédito; Fiscalizar o Presidente da república e avaliar e votar Projetos de Lei, entre outros.

Recebe o nome de Deputado Estadual, o candidato que foi eleito pelo povo para ser seu representante no parlamento. Segundo a Constituição Federal de 1988, Deputado Estadual é um detentor de cargo político, que tem a incumbência de representar o povo na esfera estadual. Para um candidato ser eleito, é considerada a votação de seu partido político ou coligação de partidos, além da votação recebida pelo candidato. O deputado Estadual desenvolve suas funções na Assembleia Legislativa Estadual. Em situações normais, seu mandato é de quatro anos. Entretanto, o candidato pode concorrer à reeleição diversas vezes, sem haver uma quantidade limitada de mandatos. Sua função principal no exercício do cargo é legislar, propor, emendar, alterar e revogar leis estaduais. Além de fiscalizar as contas do governo estadual, criar Comissões Parlamentares de Inquérito e outras atribuições referentes ao cargo.

Eleito por voto direto e secreto é o representante nacional popular. Assim como os Deputados Estaduais, os Deputados Federais também no decorrer de seu mandato podem mudar de partido. Seu mandato tem a duração de 4 anos, podendo se reeleger em eleições futuras. Cabe a ele legislar e zelar pelas leis e dogmas constitucionais nacionais, podendo propor, revogar, emenda à Constituição Federal.

Já o Prefeito, por ser um agente político, conduzido ao cargo por eleição popular com o apoio de uma parcela considerável do eleitorado local, ele se torna o porta-voz natural dos interesses e das reivindicações municipais perante a Câmara, as outras esferas de Governo e quaisquer forças que possam contribuir para o bem-estar da população e o progresso do Município. Ao prefeito cabe: Apresentar projetos de leis à Câmara Municipal, sancionar, promulgar, fazer publicar e vetar as leis, convocar extraordinariamente a Câmara, quando necessário, e representar o Município em todas as circunstâncias; requisitar à autoridade policial mais graduada no Município a força necessária para fazer cumprir a lei e manter a ordem; prestar contas de sua administração, na forma estabelecida na Lei Orgânica do Município, na Constituição e na legislação específica.

O Vereador é um representante político que opera no domínio dos municípios, igual a forma de governo constitucional na Câmara, a nível legislativo. O vereador tem somente poder Legislativo. É eleito por voto direto e simultâneo em todo país. A ele cabe: Licitar obras e outras benfeitorias para o município; Elaboração da Lei Orgânica do Município; Fiscalização e julgamento das contas do executivo; Legislar sobre assuntos de interesse local.

O futuro do nosso país, dos nossos filhos e netos está em nossas mãos. Está em quem escolhemos para administrar e conduzir o Brasil. Temos que saber em quem votar e o que eles fazem em seus respectivos cargos. Votar é mais que um ato de cidadania, é um ato de consciência que se for feito de forma impensada, trará conseqüências talvez irremediáveis. Pense nisso!

Fonte: www.brasilescola.com/politica

Entradas Mais Antigas Anteriores

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.